Passaporte: deixar no hotel ou no bolso?


Confesso que eu não sei a resposta para essa pergunta. Eu agia de uma forma e recentemente mudei minha postura. Deixo o passaporte dentro do cofre do hotel desde minha primeira viagem internacional sozinho. Quando não há cofre, deixo debaixo do forro de uma mala trancada.
A possibilidade de perder ou estragar o documento com ele no meu bolso sempre me pareceu muito maior do que quando guardado no hotel. Isso sem mencionar a chance de ser assaltado.
Já ouvi historias extremamente desagradáveis de pessoas que de alguma forma precisaram repor seu passaporte em território estrangeiro. Só a possibilidade de não existir uma embaixada ou consulado brasileiro em uma cidade por onde estou passando já me traz um enorme incômodo mental. Mas não há opção cem por cento segura. Penso que é uma daquelas decisões pessoais. Cada qual faz como acredita ser melhor.
Creio que foram esses, portanto, alguns dos pensamentos que me fizeram sempre deixar o documento no hotel.
Por outro lado, o passaporte e o respectivo carimbo da imigração (nos países nos quais o visto é obrigatório) são suas provas de identidade e de autorização de estadia no caso de precisar comprovar isso.
Tudo bem, concordo, estou aqui falando de extremos. Mas são possibilidade, certo?
Nunca nenhum destes extremos aconteceu comigo, mas, por outro lado, já precisei voltar ao hotel algumas vezes para pegar o passaporte e comprovar minha identidade. E acredite, foi sempre muito chato!
Alguns exemplos simples que podem te gerar problemas são: compras com cartão de crédito, embarque em trens, aquisições (mesmo em espécie) nos estabelecimentos que precisam de confirmação da sua identidade etc.
Depois da minha última chateação no Chile, quando passei por problemas de saque com meu cartão em Rapa Nui, mudei minha postura. Agora carrego sempre comigo o passaporte toda vez que saio do quarto de hotel.